Que bebê gosta de música, todo mundo sabe. O que os cientistas ainda não haviam descoberto era que som mais agrada aos ouvidos dos pequenos. Não haviam. Isso porque foi publicado em fevereiro um estudo feito por dois cientistas e uma música, que conseguiram compor uma música que deixasse, de fato, os bebês mais contentes.

O desafio dos professores de Psicologia da Universidade de Londres, Lauren Stewart e Caspar Addyman, e da compositora Imogen Heap era descobrir de quais sons os bebês gostam, criar uma música com esses sons e experimentar as reações dos bebês a ela. Normalmente o que se vê das músicas feitas para bebês é que elas são feitas para acalmá-los e nunca (ou quase) para diverti-los.

Entre as descobertas, está a combinação de um tom maior para resultar em melodias mais alegres, melodia repetitiva  e com tambores, alterações de tonalidade e picos sonoros para criar expectativas, além de um vocal feminino.

Para testar, a compositora criou quatro melodias, sendo duas rápidas e duas lentas, cada uma com versão cantada e instrumental. O segundo passo foi tocá-las para 26 bebês acompanhados de seus pais em um laboratório, e ficou constatado que 20 deles preferiram a melodia mais acelerada e cantada.

Também foi feito um levantamento com 2.500 pais, que apontaram os sons que deixavam seus bebês mais felizes. Entre eles, estavam “bu!”, espirros, barulhos de animais e risadas de outros bebês. Com esses ingredientes, a compositora montou a música que, tocada em um laboratório com outros 20 bebês, deixou os pequenos ouvintes em transe. Confira no vídeo.