Relatório expõe importância da presença paterna no desenvolvimento infantil

Todo mundo que acompanha o blog e nas redes sociais sabe que pai que é pai troca fralda, dá banho, acorda de noite, faz comida, leva ao médico, dá carinho, dá bronca, cuida e ama, igual a mãe. O blog nasceu para partilhar nossas experiências e falar que a responsabilidade pelos filhos é dividida, no “rrá-rrá” (como a gente fala aqui no Nordeste), meio a meio, é igual em tudo.

E… BINGO! Um relatório divulgado recentemente pela ONG Promundo veio para somar nesse nosso discurso, comprovando que a presença do pai é importante e causa impactos positivos no desenvolvimento da criança e também no bem-estar da família. Ele vai mais além e fala que quanto maior for a conexão entre o pai e o seu bebê maiores são as chances de ambos se tornarem cidadãos mais felizes, produtivos e engajados.

Leia também: Estudo afirma que café pode diminuir risco de câncer de próstata

Segundo a pesquisa, o envolvimento dos homens na criação dos filhos está aumentando e cada vez mais eles querem participar mais ativamente dessa criação, mas em nenhum lugar do mundo essa atuação se compara à das mulheres, que representam 40% da força de trabalho formal no mundo, mas continuam realizando de duas a dez vezes mais trabalho doméstico e de cuidado do que os homens.

 

Tem gente aí? #ClariceResponde #uipapaiclaricetachegando #PaisNoInsta

Uma publicação compartilhada por Geraldo Lelis (@geraldolelis) em

Dados divulgados pelo Promundo mostram que cerca de 80% dos homens serão pais biológicos em algum momento de suas vidas, mas 78% desses homens vão a pelo menos uma consulta de pré-natal. Para Milena Santos, coordenadora da área de Paternidade e Cuidado no Promundo, esse seria um bom momento para os pais começarem a se envolver com os cuidados do bebê, já que há uma série de benefícios criados pela presença do pai desde o início da gravidez. “O bebê que tem a presença constante e criação de vínculo com o pai desde a gestação tem o melhor desenvolvimento cognitivo e melhor aprendizagem”, afirma Milena.

O relatório também afirma que a presença paterna também contribui para que as crianças tenham melhor rendimento escolar e sobretudo as ensina sobre igualdade de gênero. De acordo com Milena, meninos que foram cuidados pelo pai provavelmente irão tomar conta da casa no futuro, se envolver na criação dos filhos e serão menos violentos.

Além do benefício para a criança, o homem também se beneficia da paternidade, de acordo com a especialista. “Eles começam a cuidar mais da própria saúde, se sentem mais felizes e relaxados”.

Ou seja, estar presente na rotina e criação dos filhos faz bem para todo mundo. Educar um filho é um desafio tremendo. A gente nunca sabe se está fazendo o certo, mas com o tempo a gente aprende que certo mesmo é fazer eles felizes, e é isso que a gente busca.

E o bom é saber que não estamos sozinhos nessa história, que existem muitos outros homens que assumem seu papel de pai na criação do filho, lado a lado com a mãe.

Compartilhe: