Tratando o bullying também na escola

Setembro amarelo ainda é o mês dedicado à valorização da vida, mas devemos lembrar que ela ocorre todos os dias e que o dever passa por todos nós. Um relatório divulgado no primeiro semestre de 2107 pela Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, aponta que quase 250 milhões crianças no mundo sofrem algum tipo de intimidação nas escolas, o chamado “bullying”.

Segundo dados da ONU, o bullying com agressão física ocorre mais no ensino fundamental e o cyberbullying é mais comum com estudantes do ensino médio. A meta da ONU é até 2030 alcançar espaços escolares mais inclusivos, seguros e eficaz para todo o mundo.

Contribuindo para números positivos e de prevenção, no Colégio DOM a questão do bullying é tratada com a seriedade e o cuidado que o assunto requer. “Não podemos afirmar que nunca acontece, mas podemos garantir que só ocorre se não chegar ao nosso conhecimento”, explica o diretor pedagógico Arnaldo Mendonça. Ao saber do ocorrido, psicólogos do Colégio DOM conversam com o causador(es) do constrangimento e se colocam com toda firmeza necessária para ficar bem explicado que a instituição de ensino não admite fatos reincidentes.​​

Pesquisa recente realizada no Núcleo de Pesquisa e Avaliação Comportamental em Grupos de Risco da Universidade Federal de Pernambuco entrevistou adolescentes entre 11 e 18 anos do Recife. Do total de entrevistados, 14,5% apresentaram comportamento suicida. Desse número, 11,2% já tentaram contra a vida. De acordo com Marília Pereira, psicóloga e doutora em neuropsiquiatria pela Universidade Federal de Pernambuco e organizadora do estudo, “os números são maiores que nos Estados Unidos e no leste da Europa”.

Ainda de acordo com a pesquisa, dos estudantes consultados no Recife, 37,% sofreram bullying e desse número 22% já manifestaram comportamento suicida. O gênero mais afetado pelobullying ou comportamento suicida é o feminino. A entrevista foi realizada em 2016 e foram consultados 240 estudantes.

A Organização Mundial de Saúde revelou, no primeiro semestre deste ano, à BBC Brasil que a violência interpessoal é a principal razão pela qual jovens de 10 a 19 anos perdem a vida precocemente no Brasil. Os dados vêm de um estudo global sobre óbito de adolescentes. A OMS estima que 1,2 milhão de adolescentes morrem por ano no mundo – três mil por dia.

O diretor pedagógico do colégio DOM, Arnaldo Mendonça, explica ainda que “desenvolvemos na escola um ambiente de convivência fraterna, a que alguns chamam de Pedagogia do Afeto; através desse padrão de relacionamento, conseguimos aliviar as tensões, banir todos os preconceitos, gerar clima de alegria e companheirismo. Tudo isso contribui com o afastamento das situações de bullying”, finaliza.

No projeto pedagógico do Colégio Dom não é aceitável a segregação da escola dos grandes x escola dos pequenos; o que tem são espaços dos grandes e espaços dos pequenos, mas em diversos momentos a convivência de idades distintas acontece, sempre monitorada por colaboradores.

Assista a reportagem da TV Jornal exibida, nesta segunda (25), durante o Notícias da Manhã com apresentação de Anne Barreto.

Compartilhe:
Fernando Alvarenga

Cristão, pai de Valentina, casado com Joana Barros e jornalista.