Foto: Adina Voicu

Semana Mundial da Amamentaçao alerta para importância do ato

“Amamentar: ninguém pode fazer por você. Todos podem fazer junto com você”. Esse é o lema da campanha nacional que celebra a Semana Mundial da Amamentação, que ocorre desta terça-feira (1º.08) até a próxima segunda (07.08). O objetivo é ressaltar a importância da amamentação exclusiva durante os 6 primeiros meses de vida da criança. O leite humano também é considerado a melhor fonte de nutrição de meninos e meninas de até 2 anos. Segundo a Rede Global de Bancos de Leite Humano (rBLH), estudos apontam que esse alimento é capaz de reduzir em até 13% as mortes evitáveis de crianças até os 5 anos de vida.

Para comemorar a semana e chamar a atenção para a causa, a Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES) promove, nesta terça-feira (1º.08), a partir das 9h, até às 12h, encontro com profissionais de saúde que trabalham em maternidades, bancos de leite humano e em áreas de gestão da Saúde da Criança e da Mulher. O evento, na sede da SES, no Bongi, contará com a presença da pesquisadora do Ministério da Saúde (MS) Sônia Venâncio, que trará mais informações e estatísticas sobre o assunto. Também haverá a mostra de uma experiência exitosa da fábrica da Vitarella na implantação de sala de apoio à amamentação.

“Precisamos informar que o leite materno deve ser o alimento exclusivo para os bebês durante os seis primeiros meses de vida. Não é preciso dar água, chá, apenas o leite, que é rico em tudo o que o bebê precisa para crescer saudável. O alimento possui anticorpos que evitam infecções, diarreia, pneumonia. Esse é o melhor investimento para a saúde dos nossos filhos”, ressalta a coordenadora estadual de Aleitamento Materno da SES, Andrea Zacchê.

Durante o evento, a Prefeitura do Recife (PCR) mostrará seu trabalho dentro da estratégia Amamenta e Alimenta Brasil, que tem como objetivo qualificar o processo de trabalho dos profissionais da atenção básica com o intuito de reforçar e incentivar a promoção do aleitamento materno e da alimentação saudável para crianças menores de dois anos.

“A amamentação também ajuda a estreitar os laços entre a mãe e o bebê. Para a mulher, o ato torna-se um importante método anticoncepcional nos primeiros seis meses após o parto e pode auxiliar na prevenção ao câncer de mama”, reforça Andrea.

DOAÇÃO

Para os bebês prematuros ou de baixo peso, internados em UTIs, UCIs e alojamentos Cangurus, o leite materno torna-se ainda mais fundamental para o desenvolvimento. Por isso a importância dos bancos de leite humano no Estado, para atender a essas crianças. Atualmente, são nove bancos de leite, além de quatro postos de coleta. Qualquer mãe saudável pode doar o seu excedente a esses locais.

De acordo com a Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano (rBLH-Br), em 2016, Pernambuco captou 8,8 mil litros de leite materno de mais de 6,5 mil doadoras. Após as análises do material, foram possíveis utilizar 7,9 mil litros de leite, beneficiando mais de 11 mil crianças. Com isso, Pernambuco ocupou, em 2016, a primeira colocação no Norte, Nordeste e Centro-Oeste em número de crianças atendidas, além de ser o terceiro no Brasil. De janeiro a julho deste ano, já foram coletados 4,5 mil litros, distribuídos 4,1 mil e beneficiados 5,5 mil meninos e meninas.

Os bancos de leite pernambucanos estão no Hospital Agamenon Magalhães (3184.1690), Hospital Barão de Lucena (3184.6552), Hospital das Clínicas (2126.3831), Centro Integrado de Saúde Amauri de Medeiros (Cisam – 3182.7720), Maternidade Bandeira Filho (3355.2235), Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira (Imip – 2122.4719 / 4103), Hospital De Ávila (3117.5548), Hospital Jesus Nazareno (Caruaru – 3719.9338) e Hospital Dom Malan (Petrolina – 87 3202.7000). Há, ainda, quatro postos de coleta de leite, localizados na Maternidade Arnaldo Marques (3355.1815), Maternidade Barros Lima (3355.2170), Uniame (3302.6261) e Hospital Memorial Guararapes (3461.5300). Esses recebem o leite e encaminham para um banco a fim de fazer as análises necessárias.

ESTOQUE

Dos bancos de leite humano de Pernambuco, quatro são ligados à rede estadual de saúde. O Hospital Jesus Nazareno, em Caruaru, necessita de cerca de 500 ml do alimento para atender seus bebês. Atualmente, o estoque está com menos de 2 litros. “Felizmente, temos conseguido fazer um trabalho com as mães para que elas consigam ordenar o leite para seus filhos e temos conseguido resultados positivos”, afirma a coordenadora do banco do Jesus Nazareno, Virgínia Bezerra.

Já o Hospital Agamenon Magalhães, no Recife, utiliza 1,8 litro por dia e possui no estoque 35 litros. Também no Recife, o Hospital Barão de Lucena (HBL) utiliza 1,5 l e possui 39 l. Em Petrolina, o banco de leite funciona no Hospital Dom Malan, que precisa de 1 litro diariamente e possui em estoque também cerca de 1 litro.

Para retirar o leite da mama, a indicação é que a mãe use um lenço para proteger a boca e a cabeça, além de higienizar as mãos antes de iniciar o processo. O produto deve ser armazenado em potes de vidro com tampa de plástico, como os de maionese ou café. O papel que vem na parte interna da tampa precisa ser retirado antes de todo o processo. Para higienizá-los, deve-se lavá-los em água corrente e com sabão neutro. Em seguida, colocá-los em uma panela com água e levá-los ao forno. Após a água começar a ferver, deixa por mais 15 minutos no fogo.

As mães interessadas podem entrar em contato com os bancos de leite ou de coleta para ir até a unidade fazer a retirada do alimento ou para solicitar que o hospital vá até a casa da doadora buscar o leite.

com informações da assessoria de imprensa da Secretaria de Saúde de Pernambuco.

Compartilhe:
Fernando Alvarenga

Cristão, pai de Valentina, casado com Joana Barros e jornalista.